Segunda Chance

Segunda chance

Como seria maravilhoso poder ter uma segunda chance. Nossa vida, em muitos momentos, passa tão rápido como num piscar de olhos, num grande clique. Porém, o pior acontece quando somos nós que desejamos acelerar a vida, como se pudéssemos realmente andar para frente apertando um botão de controle remoto. O preço é bastante alto, mas acredito que nem percebemos o quão caro pagamos por este movimento.

Aceleramos por meio de nossa ansiedade, nossos desejos em conquistar algo ou ser de uma ou outra forma. E com isso, nossa presença e nossa felicidade não estão no aqui e agora, estão lá na frente em algum momento futuro que nem mesmo sabemos calcular ou precisar. Só ficarei feliz quando… somente estarei com minha família quando…. Quantas vezes nos pegamos com estes pensamentos e decisões?

Sabemos muito bem o que estamos adiando viver hoje em nome destes sonhos que batalhamos todos os dias, mas e nossas relações, como estão? Como me relaciono em primeiro lugar comigo mesmo, com minha saúde, meu corpo, minha alimentação, meu autoconhecimento, minha consciência, minha fé, meu presente? Será que temos colocado atenção nestes aspectos tão importantes da vida? Abandonar o presente e até torcer para que o tempo passe logo é, na verdade, um grande abandono de si mesmo, do seu SER.

O problema é que além desse abandono próprio aplicamos tal falta de disponibilidade com nossos filhos e nossa família que é, na verdade, quem mais sofre com tal ausência. As crianças precisam de nossa presença, de encontros autênticos, olho-no-olho, atenção dirigida e muito amor. Provavelmente, nossos filhos nunca mais darão a risada daquele jeitinho como fizeram hoje pela manhã e nós nem notamos, ou nem rimos com eles porque estávamos atrasados. Não recebendo nossa presença em nome de tantos sonhos futuros e tendo relações conosco no piloto-automático, qualquer relação consigo mesmo e com a vida também se formará nessas bases.

Viver o presente e recebê-lo como tal é, sem dúvida nenhuma, o grande desafio, afinal não é à toa que recebe este nome: presente. E isso inclui a crença de que, fazendo nossa parte neste momento, com certeza iremos colher ótimos frutos.

Para isso, precisamos incluir neste presente nós mesmos e todos aqueles que amamos profundamente. Vivendo plenamente aqui e agora sem dúvida nenhuma perceberemos que a tal felicidade sempre esteve e sempre estará conosco. Apenas VIVA!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Your email address will not be published.