Quantos anos você tem mesmo?!

Quanto anos você tem mesmo?

Essa tem se tornado uma pergunta comum para as crianças . Com toda a velocidade da informação e habilidade de nossas crianças , temos cada vez mais a sensação de serem mais velhos do que realmente são.
E ai , na correria do dia dia , muitas vezes criamos expectativas de que já deveriam saber lidar com determinadas situações e assuntos , que na verdade ainda não possuem estrutura para lidar.

As crianças amam crescer, poder fazer mais coisas, conseguir outras tantas e assim, aceleram esse processo junto conosco. Porém, a cada situação vivida antes da hora , surge com ela uma espécie de pressão, vinda de dentro, que também colabora para aumentar a pressão vinda de fora.
Outras crianças parecem não querer crescer , talvez tenham caminhado rápido e agora queiram até diminuir essa mesma pressão que já foi vivida. Ou muitas vezes , somos nós que queremos nossos eternos bebês e os seguramos, como se pudéssemos. A caminhada é para todos e, como pais somos fundamentais nesse processo.

Mas que hora é hora do que? Temos alguns guias que valem a pena serem seguidos como : idade permitida para assistir programas de tv, acessar sites, criar contas, etc. Mas é no dia dia , sem guias claros e específicos que o bicho pega. Um ciclo vivo , construído junto , hora se acelerando, hora indo devagar demais, hora acertando o passo. Vivo, puro movimento que pede nossa presença e disponibilidade para andarmos com eles, sempre atentos e, buscando nessa caminhada desafiadora o suficiente para gerar vontade de crescer, de seguir em frente , sem a pressão que encolhe , agride, amedronta.
Gostaríamos de receber a cartilha, resposta correta, mas essa resposta objetiva também não existe. Nossa missão é acompanhar, estar próximo, ouvir, sentir , sentir e sentir cada passo do caminho, quando é necessário parar, acelerar, descansar, etc.

Atenção!

As crianças que vivem sua idade e seguem em seu desenvolvimento normalmente estão bem. Demonstram isso na escola, no seu aprendizado, suas amizades, na sua alegria em aprender. Também percebemos essa tranquilidade inquietante em toda a sua estrutura psíquica e emocional que se aprimora ao se relacionar com mais refinamento e inteireza. Quando a pressão começa a ser demais , normalmente aparece a irritação, ansiedade e algumas vezes um recolhimento.
Quando nos pegarmos pensando em quantos anos ele ou ela tem, atenção! Acelerar ou retardar essa caminhada traz seus prejuízos e as crianças sinalizam isso.

Com essa atenção podemos viver no momento presente, sentir essa longa caminhada ora como uma brisa que passa , ausência de vento, algumas ventanias, e a sempre presença do ar entrando e saindo, vivo, caminhando na espiral ascendente de desenvolvimento. Eternos aprendizes de si mesmo, do outro, do Todo, do mundo lá fora, mas principalmente eternos aprendizes nesta caminhada rumo ao Ser que se apresenta.
Seres únicos , especiais demais , que com seus dons contribuem para a nossa humanidade.
Vamos?!

Com carinho e gratidão
Dani

Posts relacionados

Deixe um comentário

Your email address will not be published.