O Caminho do Reencontro dos Pais Depois da Separação!

Com tantas separações difíceis, muitas vezes as crianças acabam no meio de uma briga que não lhes pertence.

É muito importante que percebamos , que é o homem e a mulher que estão se separando. A entidade Mãe e a entidade Pai não se separam, já que para os filhos, ambos são absolutamente necessários , amados, insubstituíveis e importantes.

Por isso , é importante que reflitamos pois mesmo passando pela extrema dificuldade vivida numa separação conturbada, as figuras paterna e maternal precisam, devem estar disponíveis e presentes para as crianças, ainda mais nesse momento.

A criança conseguirá se adaptar a ter duas casas, uma nova rotina, mas nunca se adaptará a ausência de pai ou mãe em sua vida. Precisam da presença, participação direta e pessoal tanto da mãe quanto do pai.

O adulto, que um dia colocou o seu melhor nesta relação conjugal,  vive uma virada dramática em seu investimento em cuidar para existir com o seu melhor e passa a mostrar o seu pior nesta briga de gente grande. Mesmo que essas falas , esses sentimentos estejam disfarçados, eles lá estão. E a criança passa a viver neste clima, nesta baixa qualidade vibracional do seu campo familiar. Ainda como adultos , precisamos agir neste momento tão difícil, em nome de um único propósito que faz essa conversa continuar, a saúde integral das crianças.

Essa criança é o único porque pela qual essa relação mínima de respeito entre estas duas pessoas precisa continuar,  mas essa criança não pode somente ser o porque. Precisamos transformar esse porque em um para que, num propósito maior, num movimento novo a seguir.

E mesmo com todo amor que pais e mães tem por seus filhos, no momento da separação é muito complicado estar ligado a esse propósito maior. É como se uma grande tempestade envolvesse toda a situação , impossibilitando que ambos possam seguir em frente como homem e mulher ,mas permanecendo pai e mãe.

Apenas conseguiremos seguir em frente como pais e mães que se separaram dos seus parceiros(as), se conseguirmos nos conectar com esse propósito, com as necessidades legítimas de nossos pequenos, caso contrário, as crianças verão as pessoas que mais amam no mundo sofrerem e serão juntamente arrastadas para esse sofrimento que talvez nunca sejam capazes de entender , aceitar ou conviver.

Cuidados

Existem efeitos muito preocupantes para a criança que tem as pessoas de seu mais importante circulo de confiança em constante guerra, diminuindo um ao outro, julgando, falando mal para outras pessoas,etc..  Para a criança  essa confiança abalada  aparece simbolizada na cisão dolorida, que faz dentro dela. É como se eles tivessem que também viver separados dentro desta criança.

A criança passa a viver algo extremamente incomodo, amar e não poder compartilhar deste amor, e mais começa a se preocupar em não mostrar seus sentimentos , pois não quer magoar o pai ou a mãe. Passa a viver presa em suas manifestações, tensa e oprimida nesta convivência que sempre foi tão livre, tão grande, tão espontânea .

Começa então, com essa preocupação, que nunca deveria existir na cabeça nem no coração de uma criança, uma nova atuação por parte das crianças, estas que passam a cuidar dos pais. Essa inversão é extremamente preocupante, pois a enorme carga emocional desta situação numa criança ainda em formação , gerada pelas duas pessoas mais importantes em sua vida,  causam um grande estrago. Tenho a sensação de que o mundo perde o colorido, o brilho, como se sempre estivesse faltando um pedaço .

Penso nesta reflexão como um alerta, um pedido legítimo, um caminho possível . E somente será Possível se encontrarmos nosso amor por essas crianças, por estes filhos.

Filhos que tendo a certeza do amor do pai, a certeza do amor da mãe , a presença de ambos, são capazes de nos ensinar  sobre a capacidade de adaptação humana e o quanto com amor é Possível seguir em frente com qualidade de vida , com qualidade nas relações. Pais que conseguem viver esse novo movimento encontram a paz interna , retomam a alegria de viver. Afinal são os primeiros da fila a viverem essa prisão.

Seria maravilhoso se ao invés do direito defender as partes de uma mesma história ,os advogados e juízes cuidassem dos direitos das crianças serem crianças , dos filhos serem filhos, de terem pai e mãe livremente, de terem apenas cuidados e preocupações de criança.

Acredito neste caminho, busco esse caminho e sei que é possível. Mesmo legitimando os sentimentos de dor, de tristeza, ou raiva deste homem e desta mulher durante e depois da separação , é importante que estes sejam cuidados , ouvidos, respeitados , mas que essa dor não se misture a algo que deve estar livre e disponível: o amor de pais, o amor de mães por seus filhos(as) e o amor de filhos(as) por seus pais e mães.

Desafio

É um grande desafio ,mas é possível em nome desse amor, com este amor batendo sempre no peito. É maravilhoso e muito tocante reencontrar os pais de uma criança. E perceber a alegria dessa criança ao ter seus pais de volta! E com cada ser humano desta história, o  que acontece?  Estão novamente inteiros, livres para reconstruir suas vidas, para serem felizes! O fluxo da vida volta a fluir e a alegria toma conta!

Com carinho e muito amor!

Daniella

Posts relacionados

Deixe um comentário

Your email address will not be published.