Meu filho(a) pode ver esse filme, este programa na televisão?!

Meu filho(a) pode ver esse filme, este programa na televisão?!

Muitas vezes ficamos em dúvida se nosso filho(a) pode ou não assistir determinado filme ou programa. Outras vezes porque queremos assistir deixamos que eles assistam mesmo não sendo recomendado para sua idade.

Acredito que para que possamos fazer uso da classificação indicativa é preciso compreende-la.

Segundo a subsecretaria da comunicação institucional da secretaria-geral da presidência da Republica:

“A classificação indicativa está prevista na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente como uma forma de proteger crianças e adolescentes de conteúdos inadequados e contribuir para a educação dos jovens. O trabalho de classificação é realizado por uma equipe de analistas de várias áreas como psicologia, direito, administração, comunicação social e pedagogia. A análise dos conteúdos é feita em três fases: análise objetiva de cenas que tenham sexo, drogas e violência; identificação dos temas e a gradação, que classifica a obra de acordo com a idade.”

Todo este cuidado com nossas crianças é de extrema importância quando ao acompanhar um programa , filme ou mesmo noticiário muitas crianças ficam agitadas, inseguras ou preocupadas com assuntos que não deveriam fazer parte de seu universo. Por isso proponho que alem de conhecer os programas devemos seguir a idade indicativa.

Esse posicionamento traz a tona a reflexão do quanto devido a imensa quantidade de informação e estímulos nossas crianças acabam deixando de ser criança antes do tempo.

O desenvolvimento psíquico acontece gradativamente. Podemos pensar no desenvolvimento humano como uma espiral ascendente , que nos leva a passar pelos mesmos temas em momentos e outras condições conforme vamos nos conhecendo e nos conscientizando. As crianças encontram-se na mesma situação por isso é importante compreender que ao receber informações que dá conta de digerir , ela cresce. Ao receber informações a mais, ou mais elaboradas, ou agressivas demais, o esforço para a assimilação é enorme podendo levar a criança ao estresse de confrontar-se com algo que ainda não tem estrutura para assimilar.

Cuidar do que nossos filhos assistem é cuidar do crescimento saudável para que cada etapa , cada momento seja respeitado. Com isso a criança é considerada como criança e tratada como tal.Se as crianças estão de olho nós pais temos que ser guardiões do direito de SER criança e do que elas estão assistindo!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Your email address will not be published.