Castigo financeiro

shutterstock_92373445Hoje falaremos sobre um tema bastante recente, o castigo financeiro. Acontece assim: crianças que já recebem a mesada tem alguns valores descontados devido a algumas atitudes, tais como: deixar a luz acesa , não esticar o lençol da cama, não guardar os brinquedos, etc. Muitas dúvidas tem aparecido sobre essa estratégia de educação. A ideia do castigo traz em si a noção de pagar a pena. Trazer o financeiro para esse processo deixa tudo isso ainda mais raso, porque fica claro para a criança quanto custa não cumprir aquele combinado. O que me preocupa a esse respeito é pensar qual é a motivação das crianças para o aprendizado?

Escolhas

O que move a criança normalmente é a experiência vivida, a consequência direta de suas atitudes. Quando o resultado se torna financeiro estamos empobrecendo essa experiência , considerando que o resultado é apenas perceptível no mundo financeiro, dando importância apenas a esse valor. Assim nos afastamos dessa imensa oportunidade repleta de sabores e colocamos um preço, colocamos um valor que pouco desenvolve valores internos. Num primeiro momento pode parecer simples e bem eficiente. Mas num longo prazo a criança inteligente como é , pode chegar a conclusão de que vale a pena pagar a conta e com isso , como não teve aprendizado, o ponto importante passa a ser esse mesmo. Escolhas deixam de ser feitas baseadas nas consequências diretas e nos valores internos. Baseiam-se no valor financeiro da ação. A vida não funciona assim. Viveremos as consequências com todos os seus aspectos o que é muito mais do que o financeiro. Desenvolver valores, dá trabalho , pede olhos nos olhos, encontros, respeito e é o que possibilita a criança encontrar a riqueza da vida em toda a sua diversidade.

Com carinho

Dani

 

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

Your email address will not be published.